inventário do poeta (*)

1. leva uma foto do amor na carteira.


2. colhe pequenas margaridas
e mastiga-lhes o dentro.


3. ouve conversa de besouros
que ainda não nasceram.


4. tem os olhos túrgidos
de um boi.


5. no bojo do sorriso
traz caninos afinados.


6. levanta uma orelha
quando passa o caminhão do gás.

* (no que diz respeito aos seus atributos colaterais)

canto em meio ao mar


         falta-me
a língua da qual teu nome
                         emerge:
límpido
    nexo entre bocas
e bocetas

meu canto soçobra no chamar-te
      e lança garrafas com pentelhos
            e pétalas

                                             menos vivo
como houvesse devorado
    o farto corpo do Atlântico
                        e na garganta exasperado
          trouxesse algas

atiro poemas nas gaivotas...

outras postagens

Arquivo do blog