blues do winterlúdio

[tema]


inverno, são carlos.
           em minhas narinas
                            afluem barcos.


[solo de clarinete]


os carros são jazigos
            perdidos no espasmo.
     as luzes caminham
                  no charco. cigarros
          sonhando lábios
                           apagam entre
         os semáforos.


[solo de trompete]


cigarras tardias cantam
          uma antiga canção
no rádio que sintoniza
          apenas uma estação.
com elas compadeço:
          assovio vivaldi  ao vento
- ao menos o movimento
         que prefacia o verão.


[solo de sax]


sotrunos consumidores
trazem o mar nos sapatos,
no rosto estafado de náufragos
duas opacas opalas.
amargos, apertam tomates
afagam aspargos,
                  e rangem os dentes nas filas,
                  frustados pelas tâmaras:
        afinal como amá-las
        se o perfume está de greve
        e já prepara barricadas?


[solo de bateria]


tu dum tutz (tsc tsc tsc tsc)
tá tu dum tá tu tu tu tu tutz
tz tz tztz tz tztz tz tz tz
trada trá tá tá dum (tsc)
tá dum tz trá dá dum tz
trá dá tá dum tu tu tz
trá dá tá dum tu tz (tsc)
dum dum dum trá
trá
trá
tá-tá-tá
(trrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrra)
tzum!


[solo de baixo]


debaixo da ponte
a noite no homem
espera. casa de placas
de aluga-se: o sonho
da casa própria
é pra quem não
tem mãos, ou
não as sabe. nos
vãos quando aos poucos
se vão as nuvens
e vêm as viaturas,


sobre todas as criaturas
a lua é um
                  luxo para
                                    loucos.


[ritornelo]


inverno, são carlos.
           em minhas narinas
                            afluem barcos.

outras postagens

Arquivo do blog